Ansiedade: como hábitos simples podem ajudar a amenizar os sintomas

Fraqueza, cansaço, palpitações, fala ofegante e aquela sensação de que algo está prestes a acontecer. Já sentiu isso alguma vez? São sintomas de ansiedade e, atualmente, é muito difícil encontrar alguém que não tenha passado por alguma situação estressante nos últimos meses.

Todo mundo quer uma cura, não é mesmo? Um alívio no meio do caos. Vivemos em um mundo onde a cobrança se torna cada vez maior, as responsabilidades batem à porta e as facilidades que surgiram na última década nos aprisionam cada vez mais: não estamos sabendo lidar com o celular, com a demanda de conteúdo para absorver e, muito menos, com o que temos a oferecer diante de tantas possibilidades.

Analisando tudo, eu sempre penso: “afinal, não era para estarmos melhores?”. Com o avanço da medicina, com a quantidade de informação gratuita e com o aumento das possibilidades, não foi isso que aconteceu. Estamos cada vez mais doentes.

Sua vida pode estar uma loucura – provavelmente, está! Você deve ter compromissos agendados para o mês todo e nem pode pensar no final do ano, pois já imagina a correria que vai se. Você até sabe o que fazer, pensa em começar, mas é engolido por uma rotina que – sem você se dar conta – está cada vez mais intensa. Provável que você, muitas vezes, se pergunte: “como eu dou conta disso tudo?”. E você dá! Mas tem um preço: você não está saudável e sabe que algo precisa mudar.

E eu vou te dizer como.

Existem algumas escolhas que podem ajudar.

  • A primeira delas é TERAPIA. Costuma durar de 50 minutos a 1 hora e faz toda a diferença. Em universidades, você encontra esse serviço gratuitamente e, se não tiver na sua cidade, com certeza a prefeitura disponibiliza (pois é uma questão de saúde pública). E por que é tão importante? Pois não adianta tratar a ansiedade se você não sabe qual é A CAUSA dela. Afinal, por que você está ansiosa ou ansioso? É o relacionamento amoroso no qual você não é mais feliz? O trabalho que não te satisfaz? A preocupação com os filhos… Na terapia você vai poder falar sobre TUDO AQUILO QUE TE INCOMODA para um profissional que não estará te julgando e te fará as perguntas necessárias para você entender de onde vem a sua queixa.
  • MEDITAÇÃO. Eu sei que você deve estar pensando que é difícil ou que você (ansioso do jeito que está) não vai conseguir. Meditar é simples, mas não é fácil. É você se focar no momento presente durante um período. Não comece com muito. 30 segundos – 3 respirações profundas (inspire… expire!) sentado, de olhos fechados, só prestando atenção no seu corpo, já vão ajudar! Não existe meditação errada. Às vezes vai ser muito bom, mas às vezes, nem tanto. O importante é fazer.
  • ALIMENTAÇÃO. Você deve sentir, em momentos de ansiedade, o quanto a alimentação influencia. Ou você perde o apetite ou tem vontade de sair comendo tudo que vê pela frente – normalmente, alimentos gordurosos e cheios de açúcar são os que mais atraem. Mas isso, a longo prazo, gera um ciclo vicioso: você sente ansiedade, se alimenta mal, isso gera mais ansiedade e assim vai… Uma alimentação rica em alimentos naturais previne sintomas de ansiedade.
  • RIA MAIS. Rir libera endorfinas que são excelentes para sentirmos aquela sensação gostosa de bem-estar. Adultos não costumam rir tanto. Por isso, busque leveza em sua rotina e companhias agradáveis. Eu sei que nem sempre isso é possível e, então, parta para seriados que possam animar: “friends” e “how i meet your mother” costumam ser boas escolhas!
  • QUALIDADE DE SONO. Quando dormimos melhor, prevenimos e curamos sintomas de ansiedade. Tenha horário para dormir e acordar. Evite se alimentar com comida pesada à noite. Invista em uma ótima cama, bons lençóis e em um pijama confortável. Durma SEMPRE no silêncio e escuro (se você tem televisão no quarto, repense sobre isso).
  • ESQUEÇA O CELULAR! Sim! Celular é muito importante, faz parte da rotina. É com ele que você paga as contas, confere a agenda, lê sobre notícias, fala com familiares e até se diverte com pessoas que você nem conhece pessoalmente. Mas cuidado! Ele é um dos maiores causadores de estresse. Você já viveu alguma situação de ter algo muito importante para fazer, mas se perdeu no tempo ao ficar olhando o instagram? Ou você já abriu o whatsapp várias vezes para ver se tinha alguma mensagem mesmo sem ter recebido uma notificação? Ou, ao acordar, abriu alguma rede social antes mesmo de se espreguiçar? Cuidado! Sem perceber, você está entrando em mais um ciclo vicioso: aquele que você usa o celular para escapar da ansiedade, mas… opa! Adivinhe o que ele faz? Gera mais ansiedade ainda. Não faça uso do celular na primeira hora da sua manhã. E, do mesmo modo, desconecte-se uma hora antes de dormir. Tire notificações de aplicativos – decida a hora que você vai entrar neles, não deixe eles decidirem por você. Deixe mais o celular em casa quando sair com amigos, familiares ou amores: você estará com quem importa, não precisa de algo a mais. E, principalmente, selecione o que faz sentido: quem seguir, em quais grupos estar, qual conteúdo consumir. Use o celular com inteligência.
  • FAÇA EXERCÍCIOS FÍSICOS. Essa você já sabe. Não tem como fugir. Busque algo que te faça feliz e faça com PRAZER. Pode mudar sua vida!
  • ESTEJA MAIS EM CONTATO COM A NATUREZA. A natureza CURA. Um banho de mar, pés na areia ou na grama, um banho de sol, de lua ou de chuva. Coisas tão simples que até parecem que não irão fazer diferença… Mas podem ser o remédio que está faltando.

Espero que as dicas auxiliem e que você encontre um espaço em sua rotina para, aos poucos, ir praticando. Como eu disse, vá com calma: o que você pode fazer hoje mesmo para se sentir melhor?

É tudo uma questão de hábito, mas, antes de ser hábito, precisa ser uma escolha.

Escolha VOCÊ!

Com carinho,

Renata Hermes