Aliviando tensões com ventosaterapia

A ventosaterapia (também chamada de cupping) é uma prática antiga bastante utilizada em países orientais como China, Japão e Coreia. Entretanto há registros do uso de ventosas por Galeno, Hipócrates e pelos egípcios (registros de mais de quatro mil anos).

Aqui no Ocidente ficou popularizada após as Olimpíadas de 2016, pois é muito comum sua utilização no pós-treino em atletas (para ajudar na recuperação). O nadador Michael Phelps e o jogador de basquete Lebron James são vistos frequentemente esbanjando as marcas da ventosaterapia. Além disso, celebridades como Gwyneth Paltrow, Victoria Beckham, Jennifer Aniston e Justin Bieber já utilizaram a técnica também.

Basicamente, o objetivo de se utilizar as ventosas é gerar um vácuo (que faz a sucção da pele), estimulando a circulação sanguínea no local da aplicação, o que melhora a circulação de oxigênio/nutrientes nos tecidos e ajuda na liberação de toxinas (estimulando a desintoxicação do organismo).

A partir disso fica fácil entender que as ventosas podem atuar tanto na parte terapêutica (melhorando nossa saúde), quanto na estética.

Na parte terapêutica a ventosa ajuda no alívio de dores musculares e articulares, pontos gatilho, nódulos de tensão, dores abdominais. Traz alívio reduzindo a fadiga e aliviando as tensões.

Também pode ser utilizada com finalidade estética para quadros de celulite, retenção de líquido e detox.

A ventosaterapia pode empregar copos de vidro, acrílico ou silicone para a sua aplicação, assim como o vácuo pode ser gerado através de fogo, pistolas ou aparelhos.

O local de aplicação mais comum é na região das costas, mas ela pode ser feita em outras partes do corpo como panturrilhas, coxas, etc (tudo depende do objetivo proposto).

A permanência das ventosas na pele do interagente varia entre 5 a 20 minutos. Por isso, na maioria dos casos, a sessão é complementada com outras práticas como massagem manual, drenagem linfática, aromaterapia ou auriculoterapia (fazendo a sessão durar de 40 a 60 minutos).

É bastante comum o aparecimento de equimoses (“roxos”) depois da sessão. As equimoses são regiões que ficam com uma coloração diferente (variando do vermelho ao preto) e ocorre por causa do extravasamento de sangue do local (é uma reação esperada da pele). É importante saber que essas manchas levam de 3 a 21 dias para sumirem, dependendo do metabolismo e do grau de intoxicação de cada indivíduo (por isso é importante não expor a região ao sol, para não ter o risco de manchar efetivamente a pele).

Geralmente, as sessões são semanais, mas isso depende também da recuperação da pele e metabolismo de cada interagente.

Muitas pessoas olham as ventosas com certo receio (tem a impressão de que é uma técnica dolorida). Mas, na verdade, a sensação que se tem é de tração e calor na região (e não de dor). Depois de alguns minutos vem entorpecimento (que seria algo parecido com uma dormência e relaxamento do local).

E aí? Ficou interessado(a) pela técnica?
É só mandar um whats para (48) 99161-7132 e agendar sua sessão. Estarei te esperando!

Post: Lucy Stein